Pular para o conteúdo principal

PUBLICIDADE

Cidades brasileiras têm paralisações nos transportes e protestos em dia de greve

Foto: Reprodução/TV Globo

Serviços de metrô, trem e ônibus foram parcialmente paralisados na manhã desta sexta-feira em capitais e outras cidades do país, e manifestantes bloquearam importantes vias para protestar contra a reforma da Previdência, em dia de greve geral convocada por centrais sindicais.

Funcionários da Petrobras também iniciaram uma greve durante a madrugada em refinarias e terminais em oito Estados em protesto contra a reforma previdenciária e o programa de venda de ativos da petroleira estatal, de acordo com a Federação Única de Petroleiros (FUP).

No Rio de Janeiro, a Polícia Militar disparou bomba de gás lacrimogêneo para dispersar uma manifestação e liberar o trânsito na zona portuária, de acordo com a TV Globo. A capital fluminense estava com o transporte público operando normalmente, mas com bastante congestionamento devido ao fechamento de vias importantes.

Algumas estações de metrô amanheceram fechadas ou em operação parcial em São Paulo, mas estavam sendo reabertas com a chegada de trabalhadores, disse o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, em entrevista à Globonews. Também houve bloqueio em uma avenida que liga a capital paulista às cidades do ABC.

A paralisação ocorre no dia da abertura da Copa América de futebol com a partida Brasil e Bolívia no estádio do Morumbi, em São Paulo, às 21h30, com a presença prevista do presidente Jair Bolsonaro. A Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) informou que fará uma operação especial para atender os torcedores.

Houve paralisações nos transportes públicos também no Distrito Federal, em Salvador, em Belo Horizonte e em Curitiba, entre outras cidades, de acordo com levantamento do portal de notícias G1. Segundo o site, por volta de 7h20 ao menos 12 Estados e o DF foram afetados.

Centrais sindicais ao redor do país convocaram uma greve geral e protestos para esta sexta-feira contra a reforma da Previdência proposta pelo governo do presidente Jair Bolsonaro e em defesa da educação.

A União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Força Sindical são algumas das entidades que convocaram as categorias que representam a aderir a greve.

A CUT estima que mais de 170 cidades do país terão atos pela greve, de acordo com nota no site da entidade .

Os atos de sexta-feira foram marcados em 1º de maio, quando as centrais sindicais comemoraram o Dia do Trabalho com protestos contra a reforma previdenciária.

Na avaliação das entidades, a proposta do governo Bolsonaro não combate privilégios e prejudica a parte mais pobre da população.

Segundo a Força Sindical, dentre as categorias que aderiram à greve estão os metroviários, motoristas de ônibus, ferroviários, metalúrgicos, professores municipais e estaduais e bancários, de acordo com nota publicada no site.

A reforma da Previdência se encontra atualmente na comissão especial da Câmara dos Deputados, onde o relator Samuel Moreira (PSDB-SP) apresentou na quinta-feira parecer favorável à reforma.

Fonte: Reuters

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Itaú lideram em cobrança abusivas

O Banco Itaú é uma das maiores financeiras da America latina em valores ativos e clientes, presente em 21 países, o banco possui cerca de 5 mil agências no Brasil e no exterior e 26 mil caixas eletrônicos e pontos de atendimento. 

A instituição também lideram em reclamação nos órgão de defesa do consumidores. O braço direito do Banco, o Itaucard lidera desde cobrança duas vezes na mesma fatura ou até erro de desconto de juros e valores cobrado indevidamente.

Quando os clientes busca os canais do Itaú para corrigir os erros, são mal atendido e também a instituição demoram na busca de solucionar os problemas, isto quando o Banco ignora o cliente sem dar nem uma solução e continuando com a cobrança indevida.


Brasil desativou 16 mil leitos pediátricos desde 2010

Um levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) mostrou que nos últimos nove anos o Brasil desativou 15,9 mil leitos de internação pediátrica, aqueles destinados a crianças que precisam permanecer no hospital por mais de 24 horas. Segundo a SBP, dados obtidos no Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES), mantido pelo Ministério da Saúde, indicam que em 2010, o país dispunha de 48,8 mil leitos no Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2019, segundo dados relativos ao mês de maio, o número baixou para cerca de 35 mil.  A pesquisa também mostra que os leitos disponíveis nos planos de saúde ou em unidades privadas caíram em 2.130 no mesmo período, com 19 estados perdendo leitos pediátricos nessa rede. São Paulo desponta com a maior queda: ao todo foram 762 unidades encerradas, seguido do Rio Grande do Sul (-251) e Maranhão (-217). Segundo os dados, os estados das regiões Nordeste e Sudeste foram os que mais sofreram com a redução de leitos de internação no SUS, com 5…

Brasil tem 432 mortes e 10.278 casos confirmados do novo coronavírus

O balanço dos casos de covid-19 no país neste sábado (4) aponta 432 mortes em razão da doença e 10.278 casos confirmados por exeme laboratorial. Os dados são do Ministério da Saúde e foram coletados até as 14h. A taxa de letalidade registrada pela pasta no país é de 4,2%. Os novos números indicam um aumento de 72 óbitos em relação a sexta-feira (3), quando o país registrava 359 óbitos e 9.056 casos confirmados. O ministério continua trabalhando com a previsão de entrega de 20 milhões de testes para diagnóstico de covid-19, mas afirma que essa projeção depende da disponibilidade do mercado, da logística e distribuição. Para a próxima semana, cerca de 290 mil testes serão distribuídos.  Os casos seguem concentrados no Sudeste, especialmente no estado de São Paulo, com 4.466 casos dos 10.278 totais e 260 óbitos. Veja os números. Óbitos por estado Acre: 0
Amazonas: 12
Amapá: 1
Pará: 1
Rondônia: 1
Roraima: 1
Tocantins: 0
Alagoas: 2
Bahia: 7
Ceará: 22
Maranhão: 1
Paraíba: 1
Pernambuco: 2
Piauí: 4
Rio Grande do …