Pular para o conteúdo principal

PUBLICIDADE

Paraná é o estado com maior crescimento na produção industrial


A produção industrial do Paraná cresceu 10,4% entre janeiro e maio deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo relatório do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgado nesta sexta-feira (12). Esse foi o melhor resultado entre todos os estados brasileiros.
O balanço aponta retomada gradual da economia e leva em consideração a produção de carros, caminhões, máquinas agrícolas reboques e o agronegócio, impulsionado pela industrialização de carnes.
O setor automobilístico, com alta de 29% em comparação com o mesmo período de 2018, inclui tanto automóveis quanto caminhões para reboques e semirreboques. Também tiveram destaque na alavancada o setor de máquinas e equipamentos, que inclui tecnologia para colheita agrícola, com aumento de 28,9%, e de produtos alimentícios, alta de 13%.
PAÍS - De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal, no mesmo período, a produção industrial total no Brasil registrou queda de 0,7%, pendente de investimentos e de uma cadeia mais sólida na economia. Apenas Paraná, Rio Grande do Sul (8,8%), Santa Catarina (6,1%), Ceará (3,6%), Goiás (3,2%), Pernambuco (1,5%), São Paulo (0,5%) e Bahia (0,1%) registraram dados positivos nos primeiros meses de 2019 em relação ao começo de 2018.
O Paraná também se destacou no comparativo do crescimento registrado em maio deste ano e maio de 2018, com alta de 27,8%, melhor resultado do Brasil. Esse índice ajudou a puxar o resultado do País, com crescimento na ordem de 7,1%. Dois fatores influenciaram esse avanço, segundo o IBGE: o efeito-calendário (maio de 2019 teve um dia útil a mais) e uma base de comparação diminuta, pois em maio de 2018 a atividade industrial havia recuado -6,3%, refletindo os efeitos da paralisação dos caminhoneiros.
ACUMULADO - No acumulado do ano, apesar dos 10,4% do Paraná, houve redução na produção nacional, que alcançou sete dos quinze locais pesquisados, com destaque negativo para Espírito Santo (-11,8%), Pará (-6,2%) e Minas Gerais (-4,3%). Esses estados foram pressionados, principalmente, pelos recuos assinalados por indústrias extrativas e em celulose, papel e produtos de papel. Mato Grosso (-2,7%), Amazonas (-1,8%), Rio de Janeiro (-1,5%) e Região Nordeste (-1,4%) completaram o conjunto de locais com recuo acumulado no ano.
ABRIL A MAIO - Na variação mensal, a produção industrial paranaense teve alta de 0,7%, enquanto a média nacional teve queda de -0,2%. Na série da Pesquisa Industrial Mensal, oito dos quinze locais mostraram taxas negativas. Apenas Pará (59,1%), Rio de Janeiro (8,8%), Goiás (1,6%), Amazonas (1,2%), Bahia (1,1%), Paraná (0,7%) e São Paulo (0,1%) tiveram alta.
ÚLTIMOS DOZE MESES – Os números do Paraná também são positivos numa perspectiva de médio prazo, com crescimento de 6,3% nos últimos doze meses. O acumulado nacional passou de -1,1% em abril de 2018 para 0% em maio de 2019 e apenas interrompeu a trajetória descendente iniciada em julho de 2018.
Segundo o IBGE, os principais ganhos de ritmo foram no Paraná (de 3,1% para 6,3%), Rio Grande do Sul (de 6,5% para 9,2%), Goiás (de -4,9% para -2,5%), Santa Catarina (de 2,8% para 5%), Bahia (de -0,8% para 1,4%), Mato Grosso (de -2,6% para -0,9%) e Ceará (de -0,1% para 1,5%).
Fonte: AEN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Itaú lideram em cobrança abusivas

O Banco Itaú é uma das maiores financeiras da America latina em valores ativos e clientes, presente em 21 países, o banco possui cerca de 5 mil agências no Brasil e no exterior e 26 mil caixas eletrônicos e pontos de atendimento. 

A instituição também lideram em reclamação nos órgão de defesa do consumidores. O braço direito do Banco, o Itaucard lidera desde cobrança duas vezes na mesma fatura ou até erro de desconto de juros e valores cobrado indevidamente.

Quando os clientes busca os canais do Itaú para corrigir os erros, são mal atendido e também a instituição demoram na busca de solucionar os problemas, isto quando o Banco ignora o cliente sem dar nem uma solução e continuando com a cobrança indevida.


Brasil desativou 16 mil leitos pediátricos desde 2010

Um levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) mostrou que nos últimos nove anos o Brasil desativou 15,9 mil leitos de internação pediátrica, aqueles destinados a crianças que precisam permanecer no hospital por mais de 24 horas. Segundo a SBP, dados obtidos no Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES), mantido pelo Ministério da Saúde, indicam que em 2010, o país dispunha de 48,8 mil leitos no Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2019, segundo dados relativos ao mês de maio, o número baixou para cerca de 35 mil.  A pesquisa também mostra que os leitos disponíveis nos planos de saúde ou em unidades privadas caíram em 2.130 no mesmo período, com 19 estados perdendo leitos pediátricos nessa rede. São Paulo desponta com a maior queda: ao todo foram 762 unidades encerradas, seguido do Rio Grande do Sul (-251) e Maranhão (-217). Segundo os dados, os estados das regiões Nordeste e Sudeste foram os que mais sofreram com a redução de leitos de internação no SUS, com 5…

Brasil tem 432 mortes e 10.278 casos confirmados do novo coronavírus

O balanço dos casos de covid-19 no país neste sábado (4) aponta 432 mortes em razão da doença e 10.278 casos confirmados por exeme laboratorial. Os dados são do Ministério da Saúde e foram coletados até as 14h. A taxa de letalidade registrada pela pasta no país é de 4,2%. Os novos números indicam um aumento de 72 óbitos em relação a sexta-feira (3), quando o país registrava 359 óbitos e 9.056 casos confirmados. O ministério continua trabalhando com a previsão de entrega de 20 milhões de testes para diagnóstico de covid-19, mas afirma que essa projeção depende da disponibilidade do mercado, da logística e distribuição. Para a próxima semana, cerca de 290 mil testes serão distribuídos.  Os casos seguem concentrados no Sudeste, especialmente no estado de São Paulo, com 4.466 casos dos 10.278 totais e 260 óbitos. Veja os números. Óbitos por estado Acre: 0
Amazonas: 12
Amapá: 1
Pará: 1
Rondônia: 1
Roraima: 1
Tocantins: 0
Alagoas: 2
Bahia: 7
Ceará: 22
Maranhão: 1
Paraíba: 1
Pernambuco: 2
Piauí: 4
Rio Grande do …