Pular para o conteúdo principal

PUBLICIDADE

Defensoria Pública gaúcha cobra indenização de R$200 milhões do Carrefour

Divulgação

 

A Defensoria Pública do Rio Grande do Sul entrou nesta quarta-feira com uma ação coletiva contra o Carrefour Brasil em que cobra uma indenização de 200 milhões de reais em razão do espancamento até a morte de João Alberto Silveira Freitas, ocorrido na semana passada em um supermercado da rede em Porto Alegre (RS).

O órgão disse que o valor -- em razão dos danos morais coletivos e sociais -- deverá ser destinado a fundos de combate à discriminação e para defesa do consumidor, entre outros fins.

A Defensoria Pública pediu à Justiça ainda a interdição da unidade onde ocorreu o crime, "com o objetivo de diminuir os riscos de possíveis atos hostis que poderão ocorrer em decorrência de manifestações". A ação pública também envolve a empresa responsável pela segurança da loja.

Procurado, o Carrefour Brasil afirmou que ainda não foi citado oficialmente para os termos das ações ajuizadas pela Defensoria Pública e reforça que "se coloca à disposição dos órgãos para contribuir com todas as informações necessárias".

A morte de João Alberto, de 40 anos, espancado por dois seguranças da loja até a morte, desencadeou uma onda de protestos em unidades do Carrefour no país e repercutiu mundialmente.

A ação também pede, entre outras demandas, que a rede varejista crie em Porto Alegre, em 10 dias, um plano de combate ao racismo e tratamento discriminatório voltado para funcionários.

"No mesmo sentido, também solicita a adoção de campanhas de conscientização em redes sociais e mídia em geral. Determina ainda a afixação de ao menos 10 cartazes, em cada unidade da rede Carrefour no Brasil, destacando que discriminação é crime e que conste no material o telefone 'disque 100', para fins de denúncias."

Fonte: Reuters

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sanepar revolta Paranaenses

Sem investimento suficiente em saneamento, o Paraná passa pela sua pior seca, mesmo assim a Sanepar quer aumentar as tarifas. O governador Ratinho Junior autorizou o aumento. A tarifa de água e esgoto cobrada pela Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) sofrerá aumento de 5,11% a partir desta sexta-feira (5). O índice de reajuste foi definido pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar) no dia 29 de dezembro. Após três suspensões de reajustes tarifários, como parte dos esforços de enfrentamento dos efeitos da pandemia de Covid-19 e da crise hídrica, buscou-se na decisão o equilíbrio entre amenizar efeitos futuros – como de um índice maior em razão do acúmulo de adiamentos – e garantir o atendimento e qualidade no serviço para a população.

Aprovação de Greca dispara em Curitiba

  A segunda pesquisa Ibope encomendada pela RPC,  divulgada na noite desta quinta-feira (22),  apontou que  Rafael Greca (DEM) , atual prefeito de Curitiba e candidato à reeleição, teve um aumento em sua aprovação em comparação  com a primeira pesquisa, publicada dia 06 de outubro .  Segundo a pesquisa, o governo de Greca tinha classificação “Ótimo/Bom” de 54% dos eleitores no começo de outubro. Segundo os dados mais recentes, essa avaliação subiu para 59%. Eleitores que avaliavam a gestão de Greca como “Regular” subiram de 29% nas primeira pesquisa para 30%, segundo dados desta quinta-feira. Já a porcentagem dos que classificam a administração de Greca como “Ruim/Péssima” caiu de 16% no dia 6 de outubro para 11% na quinta-feira (22), segundo dados da pesquisa Ibope/RPC. A porcentagem dos que não souberam/não responderam se manteve em 1%, tanto na primeira pesquisa quanto na segunda. Fonte: Tribuna

Bolsonaro volta a pautar o voto impresso no Congresso alegando que o "povo quer"

Foto: Divulgação   O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender o voto impresso e diz que está pautando o tema no Congresso Nacional para que o recurso seja utilizado nas próximas eleições. O presidente da República questiona o  sistema eleitoral  dizendo que a urna eletrônica seria suscetível a fraudes, portanto, fazendo-se necessária a comprovação em papel. Já estou conversando com lideranças no Parlamento. Quem decide o voto impresso somos nós, o Executivo, e o Parlamento. Ponto final. E, acima de nós, o povo, que quer o voto impresso", disse Bolsonaro na saída do Palácio do Alvorada.  Desde as eleições municipais Bolsonaro encampa o  voto impresso  como uma bandeira do governo e vem ganhando apoio nas redes socias entre o núcleo do presidente. Fonte:  iG